[Cleck-cleck >> Mari Mari estralando os dedos antes de escrever o PRIMEIRO POST sobre decoração depois-de-um-longo-e-tenebroso-inverno]. Macacas, estou num apê novo, menor, alugado e cheio de questões-de-apê-alugado (isso vai dar SUPER pano pra manga aqui no BC). Amei sinceramente a parede berinjela por muito tempo, na outra casa, e elas ficaram pra trás. A casa e a parede. PAM! Na nova fase, no novo-dia-de-um-novo-tempo-que-começooooou [ah, a vinheta que a gente não aguenta mais já decorou] eu sou azul marinho. Azul marinho MESMO, cor de céu à noite, cor de calma, cor de sossega-aí-minha-filha. Testei uns três tons e mandei bala. Fiz fotinhos porque agora, com Instagram e coisa e tal, ficou fácil brincar de fotógrafo e achar tudo incríiivel. Aqui vão elas:

Preparação da tinta no balde flexível rosa (que, em situações normais, é meu cesto de roupa suja e também serve de balde de gelo, quando tem festchiiiinha)

 

<< INFORMAÇÃO MUITO IMPORTANTE:  a situação tá difícil pra todo mundo, mas devo esclarecer que essa perna peluda NÃO É MINHA >>

 

Voltando. Aqui, uma foto altamente Instagramizável do rolo de tinta

 

E aqui uma foto do trabalho em andamento. ATENÇÃO:  a cor final NÃO é essa ainda. Por isso, quando você for pintar a parede da sua casa e bater um medinho diante das primeiras demãos, segura na mão de Deus e ca-calma. [Ou então me liga]. O aspecto molhado engana. A cor MESMO você só percebe depois de duas ou três demãos secas, tipo 48 horas.

 

Como eu não sou uma pessoa NEM um pouco legal, só mostro o resultado depois, com a sala devidamente produzida.
E aí? Gostaram?

Mari Mari precisa de elogios. Por favor, elogiem :)