Tô falando que a mente humana é poderosa. Sempre quis ter um cantinho onde eu pudesse fazer meus artesanatos. No apê antigo, meu material ficava entuchado num armário, um horror. Para achar um pincel ou um pedacinho de tecido era o ó. Passei a vida namorando os “craft rooms” mostrados nas revistas gringas. Quando pintou a história de mudar de casa, a primeira coisa que me veio à mente não foi ter um banheiro a mais, uma vaga na garagem ou uma sala maior. Pensei na possibilidade de finalmente ter meu ateliezinho. E não é que no apê novo tenho não um mas DOIS espaços disponíveis? Pois é, pois é, pois é. O primeiro é o quartinho de despensa, que fica colado na área de serviço. O outro é o quarto de hóspedes, mais espaçoso e claro. Só um detalhe: um dia esse quarto será da Audrey ou do __________ (ainda não decidi o nome do menino. Aliás, divido meu tempo entre duas atividades: escolher os nomes dos meus filhos e as músicas do meu casamento. Não tenho a menor ideia de quando colocarei em prática ambos os projetos, mas por que deixar para amanhã o que se pode fazer hoje, não é mesmo?). Mas voltando. Então, estou pesquisando sobre ateliês e aceito sugestões. Sabe o que não pode faltar nele? Uma TV, lógico. Bordar assistindo à novela é muuuito mais legal. Are baba!

Dois ateliês lindinhos, que peguei emprestado do site Orangebloom

Esse aqui é do Tip Junkie

Esse é do Making This Home

Esse é do Shabby Scraps

Esse é do Studio Tofu (nossa, me deu até palpitação!)

Mari Mari acha extremamente difícil escolher nome de menino e música para a entrada do noivo