Uma vez assisti a uma palestra sobre atitude positiva. O cara dizia assim: “Às vezes você entra em casa e odeia sua casa. E pensa `vou vender essa porcaria’. Odeio esse chão, odeio esse sofá, odeio o mundo”. É ou não é? Continuando a palestra: “Às vezes o problema todo é que sua casa está precisando de uma pintura. Ou que o chão precisa de um Cascolac. Ou seja, as soluções são sempre mais simples do que a gente imagina”. O trabalho tá ruim?, perguntou o palestrante. “Passa um Cascolac no chefe”. Hehehehe. (Sério, ele disse isso mesmo). Tudo isso para dizer o que vou dizer. Quando tomei posse do apê, três meses atrás, notei que os guarda-roupas eram horríveis. De boa qualidade, mas horríveis. Veja: fórmica branca com um friso de madeira padrão cerejeira. Socorro! Cogitei, ainda que por 5 minutos, a possibilidade de abrir mão deles. Tomei um chá de bom senso e liguei para um marceneiro. Decidi trocar o revestimento e as dobradiças de todas as portas. Escolhi uma fórmica branca, lindinha, delicada. Para reformar 3 guarda-roupas de 4 portas + 1 roupeiro o Adilson-querido me cobrou R$ 2.500 – em um milhão de vezes. Passei pela obra hoje. Tão lá as portas novas. Só falta instalar os puxadores. Resultado: tenho 4 armários lindos, perfeitos, que me enchem de orgulho.

Armário velho:

Armário novo:

Mari Mari divulga a Teoria do Cascolac mundo afora